O Facebook é foco de um recém-lançado estudo do Pew Research Center que está repleto de tendências negativas para a gigante social sitiada.

Entre as descobertas que mais chamam a atenção: Mais de 1 em 4 pessoas excluíram o aplicativo do Facebook de seus telefones, um número que fica muito maior quando você se concentra apenas em pessoas de 18 a 29 anos (44% das quais dizem que fizeram isso). No total, 74% dos usuários do Facebook, de acordo com os dados do Pew, disseram que fizeram uma das seguintes ações no ano passado.

  • Ajustaram suas configurações de privacidade
  • Tiraram uma folga do Facebook por pelo menos algumas semanas
  • ou excluíram o aplicativo de seu telefone completamente

A Pew reuniu essas descobertas pesquisando um grupo de adultos dos EUA entre 29 de maio e 11 de junho, eles tiveram bastante tempo para formarem opiniões e mudarem seus comportamentos à luz do escândalo da Cambridge Analytica.

“Certamente foi um ano de escândalos para o gigante da mídia social”, relata o TechCrunch sobre as conclusões da pesquisa de hoje, “que começou já em 2018, após as revelações de interferência eleitoral apoiadas pelo Kremlin – e com Mark Zuckerberg dizendo que seria o desafio embaraçoso de “consertar o Facebook”.

“Desde então, as coisas só pioraram, com um grande escândalo global ocorrendo em março, depois que novas revelações sobre o uso indevido de dados da Cambridge Analytica deram um salto na bola e arrastaram todos os tipos de esqueletos de prevaricação de dados para fora do armário do Facebook.”

Embora haja um pouco de divergência nos dados do Pew entre usuários mais velhos e mais jovens do Facebook, com o último mostrando especialmente uma facilidade específica para romper com a plataforma, é importante notar que os dados não estão mostrando muita diferença dependendo se o usuário é um democrata ou republicano.

Os pesquisadores do Pew descobriram que os republicanos, mais do que os democratas, acham que a plataforma tende a censurar o discurso político. Um dos argumentos que também foram encerrados nas audiências de quarta-feira, que contaram com representantes do Facebook e do Twitter.

Ainda assim, de acordo com Pew: “Apesar dessas preocupações, a pesquisa descobriu que partes quase idênticas de democratas e republicanos (incluindo independentes políticos que se inclinam para qualquer partido) usam o Facebook. Os republicanos não são mais propensos do que os democratas a fazer uma pausa no Facebook ou excluírem o aplicativo de seu telefone”.